Livro de Caroline Fernandes esgota primeira remessa e entra na segunda fase de vendas

0
119

Lançado, recentemente, o livro “MAIS VIDAS NOS DIAS – A vida é muito valiosa para apenas sobreviver”, de autoria da criciumense, Caroline Fernandes, um livro cristão que retrata a diferença entre sobreviver e viver, e que, por estar cumprindo o seu propósito entre os seus leitores, já está na sua segunda remessa.

O livro é resultado de uma vivência de 23 anos, e foi escrito em 3 meses de bastante dedicação, o que é gratificante à autora, haja vista a grande quantidade de testemunhos que têm recebido.

Para a autora, “o ser humano é preocupado com a quantidade de dias em que sobrevive e esquece como vive nos dias. Existe uma hora em que a nossa alma cansa de apenas sobreviver, de trabalhar para pagar as contas ao final do mês, da busca desenfreada pela paz e, quando nos damos conta, o vazio interior fica cada vez mais profundo. A obra “Mais vida nos dias” é um livro cristão que fala sobre amor, fé e vida.”, enfatiza.

Caroline expõe, disseca, em sua obra, uma dualidade vivenciada: uma, que agradece dia após dia (vivendo) ou lamentando por ser menos um dia da nossa existência aqui na Terra (que passou rápido demais e só deu tempo para sobreviver). “O reino de Deus é completo e mora dentro de nós, isso demonstra que temos que parar de buscar fora o que encontramos dentro. Apenas existir não é o plano de Deus para você, mas viver, sim. Se eu tenho um controle de televisão e as pilhas não estão funcionando, ele apenas existe, mas

Foto: Divulgação

não está ativo em sua função. A sua função é viver. Uma pessoa madura emocionalmente planta amor em terrenos menos propícios de colheita e ainda prefere perdoar a alimentar a mágoa.”.

A leitura pode ser rápida, mas nunca rasa. O livro demonstra, sob a visão da autora, o poder das sementes que podem ser transformadas nas mãos de Deus e que, para Ele, não há semente irrecusável. “Para os botões do controle funcionarem, precisamos de humildade e constância. Jesus nos ensina a viver em unidade, Ele restaura a nossa identidade e faz tudo novo, o amor dele vence todo medo e nos dá a misericórdia de viver como um filho. Para ter mais vida nos dias precisamos mudar o Ângulo. Você terá uma ótima leitura. Desfrute.”, finaliza.

O livro pode ser adquirido de qualquer parte do Brasil. Para mais informações de como obtê-lo, envie um e-mail para a autora no carolinelivros@hotmail.com, pelo fone (48) 9 9617-7950 ou pelo e-mail ou, ainda, por este link.

Tivemos o privilégio de poder realizar uma pequena entrevista com a autora a fim de saber um pouquinho mais da sua história, e de como essa proposta se deu. Confere com a gente.

Jornal O TEMPO: É um prazer a nós, do Jornal O TEMPO, poder conversar um pouquinho sobre essa importante inspiração que tem visado a transformação do cotidiano das pessoas através de uma mudança de comportamento. Quem é a jovem que escreveu sobre um tema tão importante nos dias velozes da atualidade?

Caroline: Olá, me chamo Caroline Fernandes (Carol), tenho 23 anos, moro em Nova Veneza – SC. Sou cristã, estudante de psicologia e apaixonada por Jesus. Conheci Jesus há 8 anos atrás. Antes disso aconteceram muitas coisas. Na minha adolescência eu tinha o TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) nas quais as características eram: Se eu fosse viajar daqui a Florianópolis e chegando lá não encostasse 3x no poste eu não embarcaria no ônibus de volta. Não conseguia andar nos pisos normalmente, não podia pisar nas linhas pois logo vinha em minha mente: Se não fizer isso sua mãe vai morrer. Também tinha problemas com alimentação, tudo que eu comia eu vomitava (involuntariamente), meu sonho era comer um salgadinho e não vomitar. Outro problema era que eu não gostava da minha aparência, me achava muito magra, então na adolescência eu colocava 4 calças embaixo da minha para parecer mais encorpada. Porém, aos 15 anos de idade eu encontro uma pessoa chamada Jesus que me libertou, curou e restaurou. Libertou do TOC, curou a minha alimentação e restaurou a minha identidade. Antes eu era perdida e então fui encontrada, de rejeitada para amada, de presa para livre, de autocondenação para autoaceitação. Ganhei uma bolsa para cursar a faculdade de psicologia, onde posso testemunhar a minha cura.

Jornal O TEMPO: E a sua trajetória acadêmica, Carol, teve influência na produção de um conteúdo que aborda a vivência humana com tanta profundidade?

Caroline: Com certeza. A psicologia me ajuda muito no processo diário. Eu creio que quanto mais espirituais somos mais humanos nos tornamos. Vejo a inteligência emocional de Jesus quando andava com seus discípulos, quando amava os traidores, quando comia com os pecadores, quando andava com os rejeitados. Jesus tinha domínio próprio e chamava quem o traia de amigo. A psicologia nos ajuda a estudar também os frutos do Espírito, porém posso ter através de JESUS. Eu creio que somos biológico, psicológico, social e espiritual.

Jornal O TEMPO: Como têm sido a receptividade dos seus leitores?

Caroline: Ótima. As pessoas que estão lendo o livro estão se encaixando na história (esse é o principal objetivo do autor). Melhor do que se encaixar é sair fora do quadrado e trazer um novo significado a isso.

Jornal O TEMPO: Poderia compartilhar conosco algum dos testemunhos que recebeu de leitores da obra?

Caroline: Claro, com maior prazer. Seguem alguns testemunhos: “Carol, me encontrei nesse livro, hoje me sinto amada por esse Deus, vejo que Ele não tem raiva de mim!”, ” Eu estava na faculdade e não sou muito de leitura, porém o livro me chamou a atenção. Aceitei os desafios que o mesmo trás para mim, pedi perdão, perdoei, estou amando viver esse novo estilo de vida!”. “Como me inspira esse livro Carol, dá vontade de ler mais e mais, é pouco um capítulo por dia, eu estava sobrevivendo, hoje estou vivendo, como é bom isso!”.

Jornal O TEMPO: Como a obra foi recebida pela sua família. Você teve apoio? Quem foram os seus principais apoiadores?

Caroline: Minha família amou o despertar do Senhor através desse livro. Ele não contém apenas palavras mas história. Levei 3 meses pra escrever mas 23 anos pra construir. Renunciei o emprego onde estava para focar nele também. Falei com algumas empresas amigas (diversos ramos) que incentivaram e patrocinaram parte da primeira remessa.

Jornal O TEMPO: Nos tempos atuais, vivemos momentos bastante preocupantes de aumento significativo nas taxas de suicídio em todo o Brasil, essa situação alarmante, de algum modo, fomentou a produção do livro e esse despertar? Ou não há qualquer relação?

Caroline: O livro nasceu após 3 mortes. Minha avó, meu irmão e meu pastor. 3 causas diferentes. O livro tem ajudado muitas pessoas com depressão, desmotivadas, com ideias suicidas também. Moro em um estado que é um dos que tem maior taxa de suicídio do país (2ª). Me incentivou também a questão do suicidio, por que muitas das pessoas que cometem esse ato não querem morrer e sim matar a dor interna. MAIS VIDA NOS DIAS trás um novo significado a essa dor.

Jornal O TEMPO: Sabemos que você já atua nos traçados de um novo projeto. Ele tem relação com o assunto abordado neste lançamento? Ou trata-se de outra percepção?

Caroline: Estou começando as anotações para o próximo livro que se chamará: “Entre mortos e feridos Um nasceu pra salvar o mundo!” Obs: Você está sendo o primeiro a saber disso. Falará sobre Jesus e o seu amor incondicional. Jornal O TEMPO: (Que honra! Obrigado!). Caroline: Em que a cruz não é ponto de chegada mas de partida. A salvação é uma porta para viver o Caminho

Jornal O TEMPO: Carol, poderia deixar uma mensagem aos nossos leitores a respeito do núcleo da sua obra? Depois do insight do seu livro, que conselho você lhes ofereceria?

Caroline: A vida é muito valiosa para apenas sobreviver. O sinal verde está liberado, não precisamos mais ficar parados no vermelho. Se deu algo errado nas nossas vidas ou algum momento difícil está na hora de avançarmos para o próximo nível, do “conhecer” a Verdade. Se estou em uma estrada e fura o pneu do meu carro, eu não troco o carro e sim o pneu. Se as pontas do meu cabelo estão quebradiças eu não raspo a cabeça e sim corto as pontas. Se algo aparentemente está freiando a sua caminhada não é hora de parar.

O que mais amo é falar do amor de Jesus e ver Ele sorrindo, e como faço Ele sorrir? Quando um pecador se arrepende há festas no céu. (LC 15:7). ARREPENDIMENTO E GRATIDÃO. Não importa o lugar e sim quem carregamos. Esse amor transborda onde estamos.

A diferença entre um termômetro e um termostato, é que o primeiro mede a temperatura do ambiente e o segundo adequa a temperatura que deve ficar. O Senhor nos chama para transformação, pois a criação está aguardando essa linda manifestação

Deus abençoe

Jornal O TEMPO: Mais uma vez, agradecemos pela oportunidade dessa troca, e esperamos que não somente esse projeto, mas todos os outros que vierem e que passarem pelas suas mãos, sejam todos, sempre muito abençoados e abençoadores. Esperamos que, em breve, possamos te ouvir novamente, com notícias novas acerca desta outra Carol, a que se inclina à escritora, que vai formando novos e importantes contornos.

Seu comentário é importante para nós...

Deixe uma resposta