Escritor catarinense prepara terceiro livro da série Fritz

0
47
Foto de Leo Waltrick - Jura Arruda - 2015

O simpático sapo Fritz, criado pelo escritor Jura Arruda, o escritor infantil que tem tudo a ver com Barra Velha, ganha sua terceira história num projeto que prevê, além da publicação de “Fritz, um sapo nas alturas”, a reimpressão dos dois primeiros títulos e a tradução para inglês e alemão. Para isso, Arruda já iniciou a campanha para obter recursos via Lei Rouanet.

Jura Arruda é frequentador das praias de Barra Velha desde a infância e já escreveu um livro cuja história foi inspirada, e se passa, na cidade, “O vento que me voa”, que narra as impossibilidades e sonhos de um papagaio que tem a asa quebrada, lançado em 2015.

A saga de Fritz começa com “Fritz, um sapo nas terras do príncipe”, publicado em 2007, que narra a história de um sapo alemão que em 1851 fica sabendo que um navio partirá do porto de Hamburgo para uma cidade conhecida como “as terras do príncipe”. Apropriando-se de referências da literatura infantil clássica, o autor faz o sapo pular no navio em busca de sua realeza.

“A ideia da série é sempre colocar como pano de fundo fatos históricos da região. No primeiro, Fritz vem para Santa Catarina com colonizadores europeus para fundar a cidade de Joinville; no segundo, ele acompanha a chegada do primeiro trem à estação ferroviária de Joinville, que aconteceu em 1906”, informa o autor.

No segundo livro, “Fritz, olha o trem!”, lançado em 2013, o sapo se apaixona e planeja viagens de trem pelo país. “Foi um pedido de alunos durante palestras que dou. “Vai ter outro livro do Fritz! Ele vai ganhar uma namorada?”, eu cansei de ouvir, e acabei cedendo”, confessa Arruda.

No terceiro livro da série, Fritz acompanha a passagem por Joinville do zepelim, famoso dirigível alemão, em 1934. Ele vê na tecnologia a possibilidade de voar, mas a guerra interrompe seus sonhos. Insistente, vai encontrar ao lado Futrika, sua esposa, e a filha Hanna um jeito de retornar a sua terra natal para ajudar a reconstruir a Alemanha pós-guerra.

Seu imposto pode virar projeto cultural

Empresas e Pessoas Físicas podem destinar parte do IR a ser pago para projetos culturais aprovados pela Lei Rouanet. Quem tiver interesse em participar do projeto e fazer esse sapo ganhar os ares pode se informar como fazer com a produtora cultural Marisa Toledo, por telefone/whatsapp (47) 99994-2984 ou pelo email aqueletrio@gmail.com.

Seu comentário é importante para nós...

Deixe uma resposta