NOTAS

22 de novembro

Governo de Santa Catarina com a corda no pescoço
Parece que a previsão orçamentária do Estado de Santa Catarina não foi satisfatória. Com 51% da folha de pagamento comprometida, e num esforço de realizar cortes imprescindíveis para não se enquadrar em Lei de Responsabilidade Fiscal, restaram várias baixas que representarão grande prejuízo acaso sejam realmente confirmadas. Entre elas, a impossibilidade momentânea de realizar repasses para bolsas de estudo previstas no artigo 170 da Constituição, bem como para investimentos na infraestrutura viária e ativação de novas unidades prisionais. Um dos agravantes, nesse cenário todo, é a impossibilidade de obter empréstimos com o Tesouro.

Turista catarinense morta
Infelizmente, confirmou-se a notícia de que a turista catarinense e empresária, Fabiana Fernandes, 30 anos, que havia desaparecido numa trilha na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, foi encontrada por um cão farejador, perto de documentos, roupas e pertences seus. Ela foi encontrada nua e com lesões na cabeça e pelo corpo, que foi encaminhado ao IML. Cenários de violência desse tipo estão cada vez mais comuns. As recomendações, portanto, são para jamais realizar esse tipo de atividade sem acompanhamento. Quanto mais remotas as áreas, maiores os riscos.

Turista catarinense Fabiane Fernandes, de 30 anos, desapareceu em uma trilha na Região dos Lagos do Rio — Foto: Reprodução/Inter TV
Foto: Paulo Henrique Cardoso/InterTV

 

Foco na educação infantil

Balneário Camboriú saiu na frente dos demais municípios. Representantes de Núcleos de Educação Infantil (NEI’s) participaram, durante a semana, de uma videoconferência com o Procurador Regional da República no Distrito Federal, Guilherme Schelb. O tema da videoconferência, que ocorreu na UDESC, foi “Infância Protegida”. Guilherme Schelb foi Promotor de Justiça da Infância em Brasília e é autor de livros com foco na proteção da criança e adolescente. Durante a conversa, ele falou sobre a legislação que envolve o tema e também sobre como identificar se uma criança que está sofrendo abuso sexual. Os 35 profissionais presentes puderam ouvir e fazer questionamentos acerca do assunto. A partir de agora, professores, gestores, supervisores, administradores, professores de educação infantil e educação física, com a equipe multidisciplinar da Secretaria de Educação composta por assistentes sociais, psicólogos, fonoaudiólogos e odontopediatras, serão agentes multiplicadores em seus Núcleos de Educação Infantil sobre este tema.

Seu comentário é importante para nós...